Volume
Rádio Offline
Redes
Sociais
Padre paraense que fazia exorcismo é proibido de atuar
14/02/2022 12:59 em Política

O religioso fez um desabafo nas redes sociais sobre a sentença da cúria e afirma não saber o motivo

A Arquidiocese de Brasília suspendeu, temporariamente, última quinta-feira (10), a permissão do único exorcista do Distrito Federal, padre Vanilson da Silva, para realizar missas e sessões de exorcismo na capital federal. Padre Vanilson da Silva é paraense da Ilha do Marajó, onde iniciou seus estudos. Logo em seguida, foi para Belém (PA), depois para Goiânia (GO). Tornou-se missionário e acabou na capital federal por um pedido de sua congregação. Vanilson foi ordenado exorcista da diocese de Brasília em 2012. O exorcismo é um ritual que “protege e afugenta o demônio de uma pessoa ou objeto”, segundo o Catecismo da Igreja Católica.

O religioso fez um desabafo nas redes sociais sobre a sentença da cúria e afirma não saber o motivo. “Os senhores bispos se reuniram com o meu superior provincial e exigiram a minha retirada imediatamente. Me senti violentamente desrespeitado porque todas as reuniões foram feitas sem a minha presença. Nunca fui ouvido”, diz o texto.

Na mensagem, o padre também falou sobre a relação que mantém com o arcebispo de Brasília, dom Paulo Cezar Costa. “Fui até ele, falei do ministério de exorcista e da missão com a comunidade. Ele me recebeu muito bem e deixou marcada visita na associação para nos conhecer. Nunca foi. No dia 23 de setembro, marquei outra conversa. Horas antes, ele desmarcou”, desabafou.

“Sei que vivemos fins dos tempos, e muita coisa ainda vai acontecer. Diante dessa realidade, eu entendo por que os padres se suicidam. Tudo passa. Até os grandes impérios passaram. Eu mexi diretamente com o inferno, ele se levantou contra mim. E ainda veremos coisas horrorosas acometendo”, completou.

Missas suspensas

No Instagram, o padre Vanilson informou que as missas na Associação Padre Júlio Negrizollo, em São Sebastião, estão suspensas. Apesar de ser questionado pelos seguidores, o religioso não explicou o motivo. Apenas pediu para que a comunidade aguardasse novos comunicados e continuasse rezando pela missão.

O outro lado

A reportagem entrou em contato com a Arquidiocese de Brasília para saber os motivos que levaram o padre a ser afastado das atividades, mas, até a última atualização desta matéria, não havia obtido resposta. O religioso também foi procurado e não comentou o afastamento.

Por Luciana Carvalho, estagiária, sob supervisão de Heloá Canali, coordenadora de "OLiberal"

COMENTÁRIOS
PUBLICIDADE